07/08/2020 às 14h10min - Atualizada em 07/08/2020 às 14h10min

Amigos pelo caminho

Amigos pelo caminho

Algumas histórias precisam ser nossas para termos mais propriedade em contá-las, nem sempre é possível falar apenas pelo que se ouviu, experienciar pode ser doloroso, mas é talvez a única forma de saber exatamente como são determinadas situações, colocar-se no lugar do outro dificilmente nos dá condições de mensurar os conflitos e sentimentos do outro.

Eu já vivi muitas coisas nessa vida e nunca me deixei abater, por muito tempo, em nenhuma delas, algumas vezes, nem mesmo me permiti sentir tudo a fundo para não me vitimizar, enfraquecer e parece que as experiências serão sempre parte desse ser que é tantos, mesmo num só, sem a necessidade de heterônimos, como Fernando Pessoa.

Nessas lutas, não venci todas e escrever essas crônicas nessa honrosa página foi uma das formas de exorcizar algumas frustrações.Terapia para sentimentos, muitas vezes, nem tão expressivos e desde que o mundo entrou nessa pandemia peguei carona no corona e quase sempre coloco aqui sensações e impressões dessa loucura na qual se transformaram nossas vidas, mal sabia que teria muito o que falar e escrever, não seria possível passar como mera expectadora dos fatos.

Ouvir falar de Covid-19, saber de casos de contaminados não nos prepara para vivenciar o que é ser, de fato, personagem real dessa triste história. Ficar num local de pacientes com sintomas graves diversos, conseqüências  do Covid, aguardar a medida da saturação sanguínea como última gota de esperança, não poder sair na porta, num corredor, perder quem você ama para o Covid, ser contaminado e ter que ficar em isolamento são situações que não é possível imaginar, a não ser experienciando.

Não poder abrir um caixão e ter a última lembrança do corpo do ser amado, não poder ficar as últimas vinte e quatro horas velando esse corpo, são direitos que nos são tirados e nos mostra quanto somos impotentes diante do inexorável destino.

E de repente, aqueles anjos disfarçados de amigos que Deus coloca em nossos caminhos para nos amparar quando nada terreno seria suficiente, aparecem e nos cobrem com suas asas.

Essa crônica não é para descrever as tristezas e perdas dessa pandemia, mas para reforçar que amigos verdadeiros são toda a diferença em nossas vidas, são preciosos e insubstituíveis.Conhecem nossa essência e adivinham nossos pensamentos, pois são parte de nós.

Assim nenhum mal, nenhuma pandemia, nenhuma possibilidade de contaminação os separam de nós. Nunca uma fileira de carros foi tão significativa em minha vida, não pelas máquinas, mas pelos super-heróis que estavam nelas, com uma força tão sobre-humana que revelava a parte divina que existe dentro de cada um de nós.

Quando eu pensei que a pandemia nos faria sentir mais órfãos, mais solitários na tristeza, foi quando me senti mais privilegiada e amada, num passe de mágica, meus amigos anjos apareceram e cubriram-nos com suas asas, foi mesmo sublime.

Apesar da ausência dos toques, dos abraços, o amor que cada um emanou nos envolveu e foi possível transformar um momento de imensurável dor em amor puro.

Nada supera os amigos que temos por esse caminho tão desconhecido como a vida, mesmo na hora da morte. Não sei se nesse dia a Terra subiu ou se o Céu desceu, mas os anjos estavam por todo lugar. Amigos são a força da vida. Eu sou mesmo privilegiada, tenho anjos que me envolvem em momentos que nenhum humano poderia me amparar.
Link
Leia Também »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">