14/05/2021 às 11h03min - Atualizada em 14/05/2021 às 11h03min

Sob os céus

(Foto: STOCK)
A temperatura pode até ficar amena, mas quando observamos tudo o que vem ocorrendo no planeta Terra fica evidente que a órbita foi alterada, saiu-se da rota normal e o epicentro está com problemas. Quantos horrores, quanta tristeza, quantas maldades e atrocidades, situações que ultrapassam o limite da possibilidade e compreensão humana.

E sem uma percepção consciente de todas essas alterações, começamos a viver como se todas as situações escabrosas passassem a serem normais, fizessem partes de nossas vidas, da condição humana, mas inconscientemente nosso cérebro rejeita essas situações e começamos a nos sentir tristes, depressivos, doentes, física, mental e psicologicamente.

Como assistir a um jornal e saber que uma mãe, num aparente surto psicológico mata seu próprio filho, ou numa outra cidade, um rapaz adentra nunca creche e mata a facadas crianças e uma professora, como saber que as pessoas morrem nas filas hospitalares porque administradores do bem público usurpam o dinheiro em benefício próprio, como aceitar normalmente tiroteios entre policiais e bandidos que deixam a sociedade em dúvida sobre quem estava certo ou errado.

Parece que o planeta inteiro transformou-se num pêndulo que oscila insistentemente sem uma direção certa e estamos indo e vindo como numa montanha russa. Muitos optaram e por razões bem próprias por não assistirem mais a noticiários, pois as cenas de violência invadem as telas e principalmente determinados canais ou programas fazem das desgraças seus pratos principais. Não se pode desconsiderar ser essa uma defesa mental, mas não assistir não apaga a existência dos atos, não transforma nosso planeta num lugar melhor.

Pode tornar-nos alienados aos fatos, e se for verdade que a ignorância é irmã gêmea da felicidade, quiçá, nos torne mais felizes dentro da ignorância inconsciente, mas não tornará nosso espaço terrestre menos violento e sombrio.

A verdade é que o homem se tornou o lobo do próprio homem e a velha lei do olho por olho, dente por dente está mais viva do que na antiguidade, você tem seus dois olhos e deseja a cegueira do outro para que possa tirar vantagens. Interessante é observar também que essa barbárie na qual a convivência humana se transformou não faz ninguém vitorioso, satisfeito, feliz, ao contrário estamos todos tristes, mais amargos descrentes, perdedores.

Como fazer o planeta volta a sua órbita, como transformar nosso mundo num espaço de convivência mais humano e pacífico, como reaprendermos que sou porque somos e assim, o que afeta a um, abala a todos é o grande questionamento e o maior segredo a ser encontrado.
Link
Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">