28/10/2021 às 15h53min - Atualizada em 28/10/2021 às 15h53min

Música alta vinda de casas noturnas: situação causa incômodo em Caratinga e vira assunto até na Câmara Municipal

Confira no comentário desta quinta-feira de Kleber do Val no Direto da Redação

(Foto: reprodução)
O excesso de barulho produzido por casas de diversão tem gerado discussões na cidade. A situação vem incomodando a muitos. Quem está certo?


Não gostaria, de forma alguma, de ser taxado de “estraga-prazeres”, “chato de galochas”, ou, até, Deus me livre, de “mal-amado”. Mas é preciso dizer: alguns lugares em Caratinga, que deveriam oferecer apenas distração e entretenimento às pessoas, também andam produzindo aborrecimento e dissabores a tantas outras.

Falo, especialmente, de certos bares que funcionam com música ao vivo na cidade e mesmo na área rural. Mas há, também, outros estabelecimentos que andam perturbando o sossego alheio, como academias de ginástica, com seus “batidões”. Esses locais costumam ser verdadeiras fábricas de barulho.

Música, “batidão”, conversa de botequim, tudo isso faz parte do script. O problema é o volume em que tais coisas se dão. E quando o cantor do karaokê é desafinado? Aí, o desastre é completo. Resta a quem não quer fugir para o alto da pedra Itaúna, para ter um pouco de tranquilidade, reclamar.   

Essas anomalias que andam ocorrendo na cidade não apenas me contam não: eu mesmo experimento-as, com frequência, em meu dia a dia, ao me ver impedido de assistir à TV ou falar ao celular com normalidade, em minha casa, devido à música vinda de fora que costuma invadir meus ouvidos sem pedir licença, às vezes, até durante a madrugada.

A situação anda afetando tanta gente que o assunto até foi parar na Câmara Municipal, esta semana. De forma muito oportuna vereadores, em reunião, reconheceram que esse incômodo de música alta demais se espalhando de forma desavergonhada por toda parte deve ter um fim. Cobraram, principalmente dos donos de casas noturnas, investimentos na preparação acústica de seus ambientes, para que o som alto fique por lá mesmo. E levantaram uma questão importante: a prefeitura tem concedido alvarás para esses locais funcionarem do jeito que têm funcionado? Ela sabe do que anda acontecendo? Fiscaliza os espaços?

Excesso de barulho é proibido por lei. A justiça tem, frequentemente, dado ganho de causa a quem se sente incomodado e toma providências legais a respeito. Pessoas querem descansar ao chegar do trabalho; idosos buscam calma em seus aposentos; doentes necessitam de repouso em suas camas. Quem tem procurado momentos de paz doméstica em Caratinga tem passado por maus bocados. Diversão e lazer são essenciais à vida. Que não deixem de ser proporcionados. Mas com limites, por favor.

 
Link
Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">