18/09/2019 às 09h24min - Atualizada em 18/09/2019 às 09h24min

Vida

Outras partes do mundo serão visitadas nas nossas janelas, mas hoje, resolvi falar de uma janela que, se meu pensamento fosse linear, deveria ter sido a primeira, mas sequência linear de pensamento é característica de normais, como eu abri mão da minha parte lúcida  para ampliar a minha parte louca... eu só percebi isso agora, na verdade as situações diárias é que vão tocando nossa alma e abrindo nossos olhos.E eu tenho motivos para  ser tocada nesse ponto, nesse momento .

Hoje quero falar sobre o processo de concepção da vida, desse ventre que guarda durante meses a essência da vida para que se prepare, se forme, nasça, floresça.

Independentemente da concepção religiosa, o texto bíblico de anunciação do anjo à Maria é mágico, “terás um filho”. Quando Maria visita Isabel, o texto apresentando a conversa entre as duas mulheres demonstra a magnitude do ato de engravidar. ”Bendita entre as mulheres”. Assim são todas as mulheres que carregaram, carregam ou carregarão uma vida em seu ventre. Leiam bem, deixam de ter barriga e passam a ter ventre.

Morte e Vida Severina de João Cabral de Mello Neto retrata bem a força da vida, mesmo judiada, severa, a vida é sempre dádiva a ser celebrada, bênçãos de felicidade. Quantas vezes não valorizamos esse bem tão precioso. Bendito o ventre que gerou.

Observo que algumas épocas da vida são mais fúnebres, descoloridas e quando uma gravidez acontece tudo se renova. Lembro da lucidez de minha avó ao saber da vinda de seu tataraneto, o brilho a vivacidade de seus olhos tão fatigados. Intuitivamente ela me dizia: “Eu vou continuar a viver nele. ” Acho que é bem assim, a chegada de uma vida traz esperança de recomeço e a fé em dias melhores.

Quando alguém da família ou entre os amigos tem uma vida no ventre a humanidade ganha uma nova oportunidade. Em vários momentos da vida somos salvos por uma vida que surge num ventre. Às vezes nos sentimos vazios, opacos, apáticos e o anúncio de uma gravidez transforma tudo.
Esse anúncio de gravidez pode ser algo esperado ou não, mas a magia que envolve a preparação para a chegada do bebê é a demonstração maior da força da vida. Quantas perguntas surgem? Quando será o parto? A espera da revelação do sexo da criança, as possibilidades de escolha do nome. Menino ou menina, Maria ou José?

Tudo se renova enquanto o ventre se avoluma. Ultrassonografias e expectativas. Conseguiram ver o sexo, vem antes da pergunta se está tudo bem com o bebê e a mãe que traz no ventre a vida perde um pouco de sua individualidade, de sua personalidade, tudo gira em torno desse novo ser.

Isso porque um bebê nos faz perceber como a vida é mágica, é mais que a união de um óvulo e um espermatozóide, é a força do sopro da humanidade, é a humanização da divindade.  Uma casa com um bebê tem barulho, tem vida, o choro, o riso, tudo mais agigantado, ampliando a energia.

Quando uma nova vida surge, as vidas em seu entorno renascem, pais, irmãos, avós, tios, primos, amigos, todos se alegram e tornam-se um pouco melhores.

Bendito o ventre que gerou. Deus poderia ter escolhido inúmeras formas de trazer a vida ao mundo, mas escolheu o ventre de vocês.

Essa janela foi uma homenagem a todas as mulheres que servem ao toque divino na humanidade.

Com carinho para dois ventres em especial, Camila e Gislaine, nossas vidas renasceram por intermédio de vocês. Abençoadas sejam!


Simone Aparecida de Sousa Capperucci
Formada em Língua Portuguesa e suas literaturas pelo Centro Universitário de Caratinga (UNEC) em 1997, pós-graduada em Língua Portuguesa em 1998 pelo UNEC, especialização em Literatura e Línguística aplicada em 2005 pelo UNEC, mestre em Educação e Linguagem pelo UNEC em 2010.
Professora de Língua Portuguesa nas séries finais do ensino fundamental e médio da rede pública de ensino do Estado de Minas Gerais, desde 1996 e professora do Curso de Letras no UNEC, desde 2005.

Link
Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">