13/12/2019 às 10h11min - Atualizada em 13/12/2019 às 10h11min

​окна

Seja no rompimento de relacionamento, mudança de endereço geográfico ou emprego, precisamos, em meio à transformação, buscar nossa essência, respirar fundo e aproveitar os ventos, tornando-os favoráveis, mesmo que, aparentemente soprem numa direção contrária.

A janela de hoje nos leva à Rússia, olhando bem de perto, sua capital, Moscou. A Rússia, o país mais extenso do mundo, faz fronteira com países europeus e asiáticos e é banhada pelos oceanos Pacífico e Ártico. Sua paisagem inclui desde tundra e florestas até praias subtropicais. A nação é famosa pelas companhias de balé Bolshoi, de Moscou, e Mariinski, de São Petersburgo.!

Moscou não é apenas a capital da Rússia, é um verdadeiro símbolo do país. Nela estão concentrados os expoentes mais representativos da história e cultura do povo, conhecidos no mundo inteiro.

Analisando a história da Rússia observamos um país forte, marcado por situações que poderiam te-lo  enfraquecido, desmotivado, mas ao contrário, o fortaleceram.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Rússia fez parte da ex União Soviética, formando um grande bloco socialista, mas sem condições de acompanhar os avanços tecnológicos ocidentais e manter um nível de qualidade para a população, a URSS foi declinando lentamente, até que em 1985, Mikhail Gorbachev assumiu a secretaria do Partido Comunista e colocou em prática os planos da perestroika (reestruturação) e glasnost (transparência); resultando no desmembramento, desses países em 1991.

Assim a Rússia ressurge e aos poucos vai se reintegrando ao mundo globalizado internacional.

Contudo, a Rússia nos dá uma valiosa lição. A vida é feita de fases e o desafio é nos adequarmos às várias condições e situações que a vida nos coloca. Temos que ser maleáveis, sem sermos fracos.

Algumas vezes, a vida muda tão completamente que nos sentimos perdidos, nossos cursos mudados, nossa rotina desconstruída, ficamos sem rumo, sem norte, e em meio a todo turbilhão precisamos continuar, seguir.

O ditado já diz que para frente é que se anda, mas nem sempre é fácil seguir em frente e, nesse turbilhão, muitas vezes ficamos girando, feito pião, cada vez mais tontos. A história russa nos mostra que a forma como encaramos o desafio das mudanças, nos determinará  o fracasso ou o sucesso na vida.

Seja no rompimento de relacionamento, mudança de endereço geográfico ou emprego, precisamos, em meio à transformação, buscar nossa essência, respirar fundo e aproveitar os ventos, tornando-os favoráveis, mesmo que, aparentemente soprem numa direção contrária.

Vale lembrar que, como disse, anteriormente, não podemos perder nossa essência nesse vendaval, pois se assim o fizermos, continuaremos sendo nós, com princípios e valores que fazem nossos galhos voarem, mas nossas raízes permanecerem firmes em solos aos quais  pertencemos.

Maleável é diferente de frágil; a fragilidade nos faz fracos, a maleabilidade nos torna flexíveis e, utilizando uma palavra moderna, resilientes.

A Rússia nos ensina a resiliência, a enfrentarmos as mudanças como oportunidade de crescimento e desenvolvimento. Seguir em frente não significa linha reta, algumas vezes faz-se uma curva, atalhos ou mudanças  na roda.

A resiliência nos faz acreditar que tudo é mutável, cada dia é diferente do outro e a oportunidade está no olhar com o qual vemos as coisas.
A Rússia já pertenceu aos czares, lutou em grandes guerras, apostou no socialismo e hoje vive numa República Federativa semipresidencialista, mas sempre forte e competitiva, buscando melhorias.

Assim devemos ser cada um de nós. Apesar das mudanças, das adversidades e incertezas, precisamos nos manter fortes e equilibrados, buscando alternativas, apostando em situações melhores, acreditando que as mudanças podem ser transformadoras,  positivamente.

Moscou sempre manteve seu brilho, suas cores, sua dança e cultura. Um país forte como a Rússia tem no balé, uma de suas danças, mundialmente famosa., aparentemente uma dança frágil, mas que é possível de ser feita apenas por pés fortes. O balé representa muito bem a Rússia e a resiliência.

Que nosso pescoço, possa conduzir nossa cabeça por variadas direções, possibilitando aos nossos olhos enxergar por infinitas janelas. Que a resiliência seja uma de nossas marcas.
 
Link
Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">