11/03/2020 às 17h19min - Atualizada em 11/03/2020 às 17h19min

Coronavírus

Turbinada pela internet, com suas fake news espalhando o terror acerca de supostos casos de contaminação e sua mania de transformar tudo em espetáculo, mesmo que o assunto seja sério, a revolução causada pelo coronavírus na verdade tem bases frágeis. Com isso não quero dizer que se deva deixar esse intromedido à vontade. Claro que não.

Ele chegou “abafando”. Virou o assunto mais comentado em todo o planeta. Podemos mesmo dizer que tornou-se uma celebridade. É, não há como desprezar o poder de sedução do tal coronavírus.

Sua força é tanta que vem afetando até a segunda maior economia global, a China, país onde surgiu e onde mais tem provocado estragos. Com o gigante zonzo, obrigado a diminuir sua produção e suas compras, para conter o mal, o mundo todo sente. Não é a toa que, em toda parte, as bolsas de valores estão desabando e o dólar, decolando: são os investidores mostrando sua insegurança. É triste, mas é verdade: o coronavírus está mandando no pedaço!

Por que esse agente infeccioso anda causando tanto alvoroço? Se fizéssemos uma análise mais calma da situação não nos sentiríamos tão amedrontados. Pra começar, a gripe comum, o sarampo, a dengue, para ficarmos apenas em alguns exemplos, matam muito mais do que ele. O índice de letalidade do coronavírus não passa de 2%. E sua ação fatal quase está restrita a pessoas idosas ou já doentes. Essas sim, podem até se preocupar um pouco mais...

O medo exagerado das pessoas em torno dessa situação tem inspirado até gente bem esperta, como um arquiteto chinês que acaba de inventar um escudo anti-coronavírus, claro, mirando altos lucros. Feito de PVC, o produto se parece com uma “camisinha” gigante. A coisa deve ser vestida pelos usuários, como se fosse uma roupa. Mas, para matar o vírus, a temperatura, dentro dessa espécie de armadura, deve ser de pelo menos 56  graus centígrados. A mim me parece uma ideia não menos que ridícula. Você usaria?

Turbinada pela internet, com suas fake news espalhando o terror acerca de supostos casos de contaminação e sua mania de transformar tudo em espetáculo, mesmo que o assunto seja sério, a revolução causada pelo coronavírus na verdade tem bases frágeis. Com isso não quero dizer que se deva deixar esse intromedido à vontade. Claro que não. Prevenir seu aparecimento é dever das autoridades e mesmo da população. Afinal, mesmo não sendo o monstro que muitos acreditam ser, ele ainda tem o poder de matar. Mas chegar ao nível de medo a que se chegou por sua causa, acho um pouco demais.

O coronavírus, afinal, não está com essa bola toda não. 
Link
Relacionadas »
Comentários »