30/08/2019 às 10h44min - Atualizada em 30/08/2019 às 10h44min

Esquema de imigração ilegal usa crianças com falsos registros de paternidade, diz PF

Policiais procuram suspeitos de alterar certidões de crianças para influenciar na permanência dos imigrantes nos EUA.

G1 Vales de Minas Gerais
A Polícia Federal investiga um esquema de imigração ilegal aos EUA que utiliza crianças com falsos registros de paternidade.

Em uma nova etapa da Operação "Cai Cai", nesta quarta-feira (28), foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão no Leste de Minas, sendo três em Cuparaque, um em Governador Valadares e dois em Coronel Fabriciano. Foram apreendidos celulares, documentos e mídias.

Os envolvidos no esquema utilizavam crianças com falsos registros de paternidade para facilitar a passagem de imigrantes pela fronteira do México. Em Julho deste ano, duas pessoas foram presas na região por participarem do esquema.

Segundo informações da PF, as crianças eram usadas como estratégia para conseguir requerer a permanência dos imigrantes nos Estados Unidos. Os custos da viagem eram patrocinados por coiotes, que recebiam o pagamento dos imigrantes depois de se estabelecerem no país.

Os envolvidos vão responder por crime de promoção de migração ilegal, além de outros crimes que implicam colocar um menor em perigo e falsificação de documentos.

A pena, em caso de condenação, pode chegar a 29 anos de prisão.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">