07/10/2019 às 10h35min - Atualizada em 07/10/2019 às 10h35min

IV Congresso do Leste Mineiro de Doenças Inflamatórias Intestinais reúne grande público em Caratinga

Durante o último sábado aconteceu o IV Congresso do Leste Mineiro de Doenças Inflamatórias Intestinais em Caratinga. O evento, organizado pela ALEMDII trouxe nomes que são referência na pesquisa sobre as doenças inflamatórias intestinais para palestras e apresentou uma exposição fotográfica intitulada Cicatrizes do invisível.

Por Lucas Humberto
O Salão Brilhante do Vind’s Hotel estava cheio com os participantes do IV Congresso do Leste Mineiro de Doenças Inflamatórias Intestinais. Profissionais da área de saúde, estudantes, pacientes e familiares se juntaram para ampliar os conhecimentos sobre as DII, participando de mesas redondas sobre o assunto. A presidente da Associação do Leste Mineiro de Doenças Inflamatórias Intestinais, a Alemdii, nos falou um pouco mais sobre as atividades do evento, além de falar um pouco sobre um workshop realizado para profissionais da saúde realizado na última sexta-feira.

Um dos destaques do evento foi a presença de duas especialistas sobre o assunto: Dra. Marta Brenner Machado, presidente da ABCD – Associação Brasileira de Colite e Doença de Crohn, do Rio grande do Sul, e Dra. Maria de Lourdes de Abreu Ferrari, professora da Universidade Federal de Minas Gerais e responsável pelo ambulátorio no hospital das clínicas da universidade em Belo Horizonte. Dra. Marta falou que o objetivo é fazer uma campanha de divulgação das doenças para os profissionais da saúde, para ser realizado um tratamento correto e diagnostico. 

Dra. Maria elogiou o evento, e afirmou que as outras associações de DII deveriam seguir o exemplo da do leste mineiro, em organização e divulgação de informações. Ela falou um pouco também sobre como é importante ter uma boa relação com o paciente por se tratar de uma doença crônica.

Os presentes também conseguiram conferir uma exposição fotográfica organizada pela Alemdii. Intitulada Cicatrizes do Invisivel, mostrava fotos dos pacientes e suas barrigas. De acordo com Júlia, idealizadora da mostra, as doenças intestinais inflamatórias são invísiveis, o que a motivou a mostrar as consequências físicas que as diversas cirurgias para tratamento podem deixar.

Um dia para ficar marcado na memória, onde o conhecimento adquirido pode ser posto ao bem da sociedade, visto que as doenças intestinais inflámatorias são melhores tratadas ao serem diagnosticadas cedo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">