14/10/2019 às 08h31min - Atualizada em 14/10/2019 às 08h31min

Jovem é espancado até a morte em Manhuaçu

Uma unidade de resgate do Corpo de Bombeiros foi ao local e socorreu Raik de Souza para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Ele não resistiu e morreu.

Portal Caparaó
Jardel Thiago Cortes, de 31 anos, matou o jovem Raik de Souza, de 25 anos, após agredi-lo várias vezes no trecho da rua Olímpio Vargas, em frente à Praça Antônio Brum, em Manhuaçu. O homicídio foi por volta de 02h da madrugada deste domingo (13). Policiais militares foram acionados por conta de ligações no 190 dando conta de que um homem estava agredindo violentamente outra pessoa na rua.

Quando a equipe da viatura chegou, encontrou a vítima caída no chão, com vários ferimentos na cabeça. Uma unidade de resgate do Corpo de Bombeiros foi ao local e socorreu Raik de Souza para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Ele não resistiu e morreu.

Testemunhas afirmaram aos policiais que acordaram com um grande barulho vindo da rua. Uma delas contou que chegou na sacada de sua residência, presenciando o autor Jardel Tiago Cortes agredindo a vítima e que parecia que estava com algo nas mãos para agredir Raik. Esse morador ainda tentou gritar para que ele cessasse as agressões, porém, o homem continuou. Outra testemunha ouvida pela PM na ocorrência, também ouviu a gritaria e chegou na sacada. Viu que o autor chutava a cabeça e a face da vítima por várias vezes, sem dó nenhuma. Com Raik já desacordado, Jardel pulou com os dois pés na cabeça do rapaz.

Duas equipes da Polícia Militar foram mobilizadas e cercaram a casa do autor no bairro Sagrada Família, já que ele é conhecido por outras práticas criminosas. Segundo a PM, após ser capturado, Jardel alegou que não conhecia a vítima e disse que a briga começou porque Raik teria dado uma garrafada em sua cabeça. Alegou que deu chutes sem intenção de matar. Levado para a UPA, Jardel foi atendido e tinha somente escoriações na frente da cabeça e na mão direita. Em seguida, foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil.

Posteriormente, de acordo com a PM, houve mais denúncias anônimas via 190 de que o autor Jardel Tiago havia pulado várias vezes com os dois pés na cabeça da vítima e dizia: "Você não morreu ainda não desgraça!". Outros alegam que a briga começou na praça Antônio Brum e continuou com o autor dando chutes na vítima pela escadaria até à rua Olímpio Vargas, impossibilitando que se defendesse.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">