14/01/2019 às 14h58min - Atualizada em 14/01/2019 às 14h58min

Caratinguense declara ter recebido 24 multas irregulares por radar

Morador se sente lesionado

Matheus Aguiar

Os radares estão localizados na Avenida João Caetano Nascimento, perímetro urbano da BR116, em frente à Delegacia de Polícia Civil. Tanto no sentido de Santa Rita de Minas, quanto no sentido de Caratinga, Adriano Caetano alega que os equipamentos estão aferindo a velocidade errada dos veículos. O que estaria gerando para ele autuações indevidas e uma baita dor de cabeça.

Durante o período de dezembro de 2017 ao final de 2018, o motorista recebeu 24 autuações inadequadas e precisou recorrer em todas para que não se transformassem em multas. Mesmo com o recurso, o fotógrafo alega que algumas multas foram pontuadas em sua habilitação. Além disso, uma das infrações recebidas por ele, sequer foi constada pelo Detran, e ainda assim, foi emitida e chegou na casa de Adriano.

Em detrimento das autuações, Adriano procurou o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), autarquia responsável pela manutenção da malha rodoviária do Brasil, porém nada foi resolvido até o momento.

Nossa equipe entrou em contato com DNIT de Caratinga, e por meio de Robson Santana, direto da autarquia no município, obtivemos a seguinte resposta em nota:
“Inicialmente, cabe destacar que conforme a Res. 396/11 do Contran, os equipamentos medidores de velocidades de veículos (radares) devem ser verificados pelo INMETRO com periodicidade máxima de 12 meses. Ainda, a data de aferição do equipamento sempre é informada nos Autos de Infração lavrados pelo DNIT.

- Os contratos de fiscalização e manutenção de radares são gerenciados de maneira centralizada na sede do DNIT em Brasília pela CGPERT, de modo que as ULs não possuem controle sobre seu funcionamento.
- As infrações foram todas flagradas pelo equipamento MGR003330040, que está localizado nas proximidades do trevo para Bom Jesus do Galho. Não há ali nenhum quebra-molas ou outro tipo de redutor de velocidade físico que impeça o usuário de desenvolver qualquer velocidade que desejar.
- A respeito do veículo de placa HJU-6142, este foi autuado 24 vezes entre dezembro de 2017 e dezembro de 2018.
Estas infrações não foram todas cometidas no mesmo dia ou mesmo mês, o que ensejaria desconfiança do bom funcionamento do radar, mas foram cometidas de maneira contumaz e se perpetrando por grande período de tempo. Analisando a situação, acredito que o usuário ignorou a presença do equipamento de radar.
Fosse o caso de algum defeito no equipamento, o mesmo não perduraria por tamanho período, tendo em vista que rotineiramente percebe-se equipes realizando manutenção nos radares. Ainda, fosse defeito no equipamento durante período dessa magnitude, provavelmente teríamos toda a população da região e também todos os usuários deste trecho afetados pelo mal funcionamento, gerando grande repercussão, o que não é o caso.

Uma vez que diante do imenso fluxo de veículos que são fiscalizados pelo equipamento diariamente, considera-se baixíssimo, tendente a zero, o número de reclamações. ”


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">