14/01/2019 às 15h12min - Atualizada em 14/01/2019 às 15h12min

Em crise financeira, HNSA completa 30 dias de paralisação parcial dos atendimentos

Crise no hospital vem se estendendo a alguns anos.

Lucas Vieira

Quem passa pela porta do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora já percebe que a movimentação de pessoas no local deu uma reduzida. Nesta segunda-feira, 14 de janeiro, a unidade hospitalar completou 30 dias de paralisação de parte dos atendimentos. O HNSA, que sempre foi a porta de entrada para pacientes de Caratinga e toda a microrregião, enfrenta uma grave crise financeira e uma dívida quem chega em torno de R$ 30 milhões.

Conforme foi informado em dezembro pelo provedor do hospital, padre Moacir Ramos Nogueira, somente casos de urgência e emergência estão sendo atendidos pelo HNSA.

Mesmo com o anúncio da suspenção de parte dos serviços, pacientes de toda a região continuam procurando o hospital. Moradora de Ubaporanga, dona Marlene Soares, disse que uma das tias dela passou mal e a família veio às pressas para o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora. A auxiliar de serviços gerais elogiou o atendimento de todos os funcionários da unidade hospitalar. A preocupação não é só da dona Marlene. Todos que são atendidos pelo hospital temem uma paralisação total do HNSA.

O jornalismo da TV Sistec entrou em contato com a diretoria do hospital em busca de mais informações sobre a atual situação da unidade de saúde e se existe uma previsão para o retorno de todas as atividades suspensas. Em nota, a diretora admirativa, Suély Pereira de Souza, respondeu:

''O Hospital Nossa Senhora Auxiliadora no momento está atendendo todos os pacientes da Porta de Entrada segundo a Classificação de Risco Manchester.

Os pacientes classificados em cores AZUL E VERDE são encaminhados para as referências da Atenção Básica dos municípios, os classificados com cores AMARELA, LARANJA E VERMELHO, são atendidos pelo HNSA conforme preconiza o Manchester .
A paralização do HNSA foi com relação aos atendimentos conforme Classificação de Risco Manchester que não deveriam ser encaminhados ao HNSA.’'

Esta é a segunda suspensão temporária de prestação de serviços do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora. A primeira foi em agosto de 2017, também devido à crise financeira. Naquela ocasião, os serviços foram retomados aos poucos dois meses depois. Hoje, a medida drástica voltou a ser tomada, impactando toda a microrregião de Caratinga que tem neste hospital a referência de atendimento pelo SUS.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">