26/03/2020 às 08h55min - Atualizada em 26/03/2020 às 08h55min

Barreiras sanitárias são instaladas em entradas de Bom Jesus para conter disseminação do coronavírus

Segundo a secretária de Saúde do município, Neuricéia Martins, o propósito da iniciativa é saber de cada pessoa de onde vem e se há casos suspeitos na família ou entre amigos com os quais manteve contato nos últimos dias.

 

A Prefeitura Municipal, por meio de sua Secretaria de Saúde, mantém barreiras sanitárias nas entradas da cidade a fim de prevenir a transmissão e propagação do coronavírus.

A força tarefa, executada pela equipe de profissionais da saúde e apoio da Polícia Militar, consiste na entrevista de pessoas que passam pelos pontos onde é promovida a ação.
 

Segundo a secretária de Saúde do município, Neuricéia Martins, o propósito da iniciativa é saber de cada pessoa de onde vem e se há casos suspeitos na família ou entre amigos com os quais manteve contato nos últimos dias.
 

“Se alguém chega de um local onde há contaminação comunitária, com altos índices de infestação do coronavírus, essa pessoa é registrada no sistema de monitoramento da Secretaria de Saúde por uma semana, até que seja descartada a doença, a Covid-19”, explica a secretária, acrescentando que essa medida ajuda a restringir a chegada do vírus à cidade.

 

NÚMEROS
 

Em relação ao número da Covid-19, o município teve dois suspeitos. “Descartamos um e liberamos a pessoa da quarentena. O outro suspeito se mantém em casa, pois apresentou todos os sintomas da doença”, relata a secretária.

Quanto ao número de pessoas sendo monitoradas, já chega a 54. Esse grupo reúne pessoas abordadas nas barreiras e outras denunciadas por munícipes à Secretaria de Saúde.
 

O prefeito William Batista de Calais observa que “as barreiras atuam focadas principalmente nas pessoas que estiveram fora do município, que visitaram áreas de maior risco e voltaram para Bom Jesus. Essa é uma das ações que temos adotado para evitar a propagação dessa da Covid-19, difícil de ser combatida”.
 

William disse que a população tem colaborado com as ações e que espera o envolvimento de mais pessoas nas campanhas do “não vá à rua, fique em casa”. “Manter o isolamento social é essencial, principalmente para as pessoas que apresentam alguma síndrome gripal. Esses pacientes precisam ficar isolados, sem contato com as demais pessoas, reduzindo o risco de contaminação da família, dos amigos, da comunidade. O coronavírus é veloz e é preciso conter sua disseminação com atitudes responsáveis”, conclui o chefe do Executivo.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »