02/07/2020 às 09h50min - Atualizada em 02/07/2020 às 09h50min

Pesquisadores do LHC descobrem uma nova partícula exótica

André Luiz Dias Gonçalves
Tecmundo
Os físicos que trabalham no Grande Colisor de Hádrons (LHC) da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN) observaram pela primeira vez um novo tipo de partícula subatômica, composta por quatro quarks de charm. A descoberta está descrita em um estudo publicado hoje (1º) no arXiv.
 
Ainda sem nome, ela é a primeira composta pelo mesmo tipo de quark, um elemento básico para a formação de toda a matéria, podendo representar uma família de partículas nunca antes vista pelos cientistas.
 
Geralmente, os quarks se unem em grupos de dois ou três para formar os hádrons. Porém, há décadas é prevista a existência de hádrons de quatro e cinco quarks (tetraquarks e pentaquarks). Tais elementos exóticos chegaram a ter a existência confirmada por experimentos nos aceleradores de partículas, mas não haviam sido observados em uma formação como esta.
 
De acordo com os pesquisadores, partículas feitas de combinações incomuns são um laboratório ideal para estudar a interação forte, com a qual se ligam os prótons, nêutrons e os núcleos atômicos. O entendimento desta interação pode determinar se os processos novos e inesperados são um sinal da nova física ou somente parte da física padrão.
 
Diferença importante
 
A partícula observada no Large Hadron Collider Beauty (LHCb), um dos detectores do LHC, é a primeira composta por quatro quarks pesados do mesmo tipo, sendo dois quarks de charm e dois antiquarks de charm, uma grande diferença em relação às observações feitas anteriormente.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">