03/07/2020 às 08h44min - Atualizada em 03/07/2020 às 08h44min

Projeto ousado: Atlético-MG se aproxima de R$ 130 milhões em contratações de 2020; veja tabela

Com forte aporte financeiro de Rubens Menin, Galo bate a marca de 15 contratações na temporada e fortalece a equipe de Jorge Sampaoli com a missão de brigar pelo título brasileiro

Fred Ribeiro, Guilherme Frossard e Pedro Rocha
Globoesporte MG
Nos últimos dois dias, com as compras de Nathan e Junior Alonso, o Atlético-MG chegou à marca de 15 contratações feitas na temporada 2020 (incluindo Maílton, que foi comprado no fim de 2019). O GloboEsporte.com levantou o valor gasto em cada um dos reforços, e o total já chega perto da marca de R$ 130 milhões. Veja a tabela completa abaixo.
 
O Atlético passa por grave crise financeira, com salários atrasados constantemente, além de demissão em massa de funcionários durante a crise provocada pela pandemia da Covid-19. A dívida do clube beira os R$ 746 milhões, segundo o balanço de 2019. Mas qual é a engenharia financeira que permite ser tão agressivo no mercado?
 
Inicialmente, não significa dizer que os quase R$ 130 milhões saíram/sairão dos cofres do Galo nesta temporada. Grande parte das contratações foram feitas de forma parcelada. Além disso, a maioria das compras com valores mais altos teve aporte financeiro de Rubens Menin, empresário parceiro do clube que tem feito empréstimos recorrentes à diretoria e já garantiu que os mútuos são feitos sem garantia e sem cobrança de juros ou correção monetária.
 
Menin garante, portanto, que quer receber de volta apenas o valor cedido ao clube para fortalecer o time, em caso de negociação de atletas. Caso isso não aconteça, o empresário disse que vai assumir o prejuízo.
 
Tendo um forte aliado nas atuações no mercado, o Atlético já gastou R$ 128,6 milhões, considerando a conversão das moedas estrangeiras para o real na data do fechamento das respectivas transferências. O orçamento do clube para 2020 previa R$ 20 milhões de gastos para a aquisição de novos jogadores. Essa cifra, logicamente, foi traçada sem contar com aporte de investidores e parceiros.


 * Guilherme Arana foi contratado por empréstimo, mas já tem acordo para ser comprado em junho de 2021 por 2,5 milhões de euros (por 90% dos direitos econômicos), assinando por mais três temporadas.
** Diego Tardelli tem contrato até o fim deste ano, com acordo para renovar por mais uma temporada.

Outra ressalva importante: para abrir espaço na folha salarial - que vem recebendo novos atletas -, o Atlético já acertou a rescisão de 15 jogadores fora dos planos e vem trabalhando para encerrar o vínculo de outros, como Ricardo Oliveira.

O GloboEspote.com fez uma reportagem completa no mês passado sobre as "economias" feitas com as rescisões e apurou que, em valores atualizados, o clube "liberou" aproximadamente R$ 2 milhões na folha salarial (com as saídas) e vai economizar cerca de R$ 10 milhões a longo prazo, com as rescisões feitas (valor total do contrato menos valor gasto com o acordo).
 
De toda forma, é inegável que o projeto do Atlético é ousado e ambicioso. O clube contratou Jorge Sampaoli (que tem uma comissão técnica recebendo mais de R$ 1 milhão por mês - empresários parceiros bancam grande parte), trouxe o renomado Alexandre Mattos para a direção de futebol.
 
Só durante a pandemia, já fechou seis contratações (Léo Sena, Alan Franco, Bueno, Junior Alonso, Marrony e Keno), encerrando um "primeiro ciclo de reforços", mas ainda aberto para oportunidades de mercado. O objetivo do Galo é lutar pelo título do Campeonato Brasileiro.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">