03/07/2020 às 09h14min - Atualizada em 03/07/2020 às 09h14min

Cruzeiro busca consenso para definir futuro de Dedé e acordo em imbróglio com lateral Dodô

Defensor se recupera de cirurgia no joelho, e clube só tentará mantê-lo em BH se for vontade do jogador; lateral-esquerdo move ação trabalhista na Justiça

Gabriel Duarte e Guilherme Macedo
Globoesporte MG
O Cruzeiro está no mercado em busca de contratações para a Série B, mas o aproveitamento de uma dupla bem conhecida do torcedor – mas que ainda não treinou com o grupo em 2020 – não está descartado. O zagueiro Dedé e o lateral-esquerdo Dodô ainda podem vestir a camisa estrelada e integrar o elenco de Enderson Moreira. É o que explica o presidente Sérgio Santos Rodrigues, em entrevista exclusiva ao GloboEsporte.com.
 
Dedé tem contrato em vigor com o Cruzeiro até o fim do ano que vem. Ele está afastado desde outubro, por conta de uma lesão no joelho, e passou por duas cirurgias no local, sendo que a última foi realizada por um médico da confiança do jogador. Atualmente, ele se recupera em Volta Redonda, sua cidade natal.
 
Na semana passada, a diretoria capitaneada por Sérgio Santos Rodrigues se reuniu pela primeira vez com os agentes de Dedé. Segundo o presidente, o encontro aconteceu apenas para saber sobre a atual situação do zagueiro e também sobre a vontade dele. Este mês, ele chegou a dizer que tem vontade, sim, de permanecer no Cruzeiro.
 
“Estamos buscando a melhor solução, entendendo o prazo para retorno, como ele está, qual o desejo do atleta... tudo conta nessa hora. Ele ficar ou sair, o caminho que a gente buscar vai ser de consenso, porque a relação é muito boa” - Sérgio Santos Rodrigues.
- Foi a primeira conversa (com empresários). A gente já tinha uma relação boa, porque eu passei pelo futebol, o Deivid foi técnico dele, o próprio Daniel (Baumfeld), que é nosso médico hoje, foi quem esteve com o Dedé quando ele operou nos Estados Unidos (em 2016). O Magrão (empresário do Dedé) viajou com o Dedé e com o Daniel. Então, a gente tem uma relação muito boa. Foi mais uma reaproximação inicial minha, porque eu tinha menos contato com eles.
 
Sérgio reitera que o desejo do jogador irá contar muito para decidir o futuro dele:
 
“Foi mais nesse sentido de poder começar a conversar sobre o futuro dele, saber como está, ouvir deles, porque se o jogador não quiser ficar, não adianta brigar contra isso. Vamos esperar para ver”.
Há um desgaste com parte da torcida por conta do rebaixamento no ano passado. O jogador foi apontado como um dos pivôs da demissão do Rogério Ceni - apesar de negar que tenha havido qualquer tipo de boicote do elenco contra o técnico. Além disso, Dedé foi filmado “sarrando no ar” durante a festa de aniversário da esposa, que foi invadida por torcedores. O gesto gerou certa polêmica, já que o zagueiro se recuperava de lesão.
 
Dodô

O caso de Dodô já envolve a Justiça. Contratado no início do ano passado, por empréstimo, o jogador assinou um contrato que previa assinatura automática de um novo vinculo, em definitivo, caso fizesse três jogos no Brasileiro e o Cruzeiro fizesse 15 pontos na competição. As duas metas foram atingidas, mas o contrato de três anos, com validade a partir de janeiro passado, não foi assinado.
 
Desta forma, o lateral-esquerdo acionou o clube na Justiça do Trabalho, pedindo a validação do vínculo. Com a chegada de Enderson Moreira e Ricardo Drubscky, o Cruzeiro tentou um acordo para ele voltar a fazer parte do elenco, o que ainda não aconteceu. Apesar de as tratativas estarem em andamento há dois meses, a volta dele não está completamente descartada. Há também uma cobrança da Sampdoria, da Itália, clube que o emprestou.
 
- Sem novidade, ainda. Descartado nunca está 100%, porque eu sempre falo, ainda mais sendo do jurídico, que qualquer ação que estiver em curso eu vou batalhar pelo acordo. Então, a gente conversa, mas não tem muita novidade em relação ao que estava antes - disse o presidente.
 
Para voltar ao Cruzeiro, Dodô teria que passar por readequação salarial, uma vez que o acordo assinado previa remuneração de R$ 300 mil no vínculo definitivo. Atualmente, Marcelo Hermes, João Lucas e Patrick Brey são os laterais à disposição de Enderson Moreira, sendo que a ideia do treinador é utilizar Brey mais adiantado, como ele jogou no Coritiba e na Ferroviária-SP.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">