15/03/2019 às 16h49min - Atualizada em 15/03/2019 às 16h49min

Violência contra a mulher

Número de casos em Caratinga aumenta a cada ano

Lucas Humberto
O Brasil é um dos países mais perigosos para as mulheres. De acordo com dados do instituto Datafolha, em 2018 4,6 milhões de mulheres foram tocadas ou agredidas fisicamente por motivos sexuais no Brasil. Isso significa que a cada minuto, 9 mulheres foram vítimas desse tipo de agressão em 2018. O número é ainda maior quando se analisa violência doméstica e feminicídio: A cada 2 segundos, uma mulher é vítima de violência verbal ou física no país.

O lugar mais perigoso para elas, ainda é a própria casa, local aonde 42% dos casos relatados de violência acontecem. E isso não acontece longe. De acordo com a Dra. Nayara Travassos, Delegada de Polícia Civil, que atua na delegacia especializada em atendimento a mulher, Caratinga tem um índice muito elevado de violência doméstica e familiar, e muitas vezes, as que mais são afetadas por essa violência tem medo de denunciar, o que requer mais atenção da delegacia.

Estimativas calculam que apenas 10% dos casos são relatados às autoridades. O medo de represália e da descrença ainda impede muitas mulheres de se manifestarem contra aqueles que as ferem. Mas isso tem mudado nos últimos anos. Com a edição da lei Maria da Penha e com acesso a informação, a cada dia mais mulheres tem procurado a delegacia. Muitos são os motivos que levam a violência, mas o principal responsável ainda é o machismo.

Um popular ditado já diz: A união faz a força. E nisso está uma das maiores forças para lutar contra a violência. Diversos grupos e movimentos buscam ajudar mulheres que sofreram. Em Caratinga, Lívia Soares é fundadora do movimento Todos por Uma, que busca ajudar mulheres vítimas de violência, a partir de palestras e outras ações.

Lívia afirma que o trabalho não deve ser realizado apenas com mulheres adultas. Um dos principais meios de se combater a violência é conscientizar crianças e adolescentes, para que vejam como isso é errado e pode trazer consequências.  

Lívia também fala que homens são bem vindos, e que o machismo deve ser desconstruído.

O mês de março é o mês da mulher. Não seja uma pessoa que apenas deseja o bem para elas. Participe ativamente para a construção de um mundo mais seguro. Converse com amigos que tratam mal mulheres, denuncie casos de violência e abuso. Tenha a coragem de salvar uma vida. A delegacia da mulher se encontra na Avenida João Caetano Nascimento, n° 717, no bairro Limoeiro em Caratinga. Denúncias também podem ser feitas pelo número 181.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">