22/07/2020 às 09h11min - Atualizada em 22/07/2020 às 09h11min

Governador Romeu Zema explica proposta da reforma estadual da previdência criticada por categorias do funcionalismo público

Hérisder Matias
Zema disse que reformar a previdência é uma tendência mundial, uma vez que as pessoas estão vivendo mais, tendo uma necessidade de maior contribuição por parte dos servidores públicos. Nas últimas semanas, agentes das policias Civil e Penal realizaram manifestação contra a reforma da previdência estadual, alegando que o governador está desvalorizando o salário das categorias ao propor o aumento do percentual de desconto para a previdência. O desconto pode chegar a 19%.

O projeto da reforma está tramitando na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. A PEC 55 deve ser votada em agosto pelos deputados estaduais. Segundo Zema, a previdência de MG terá um déficit de 19 bilhões de reais, sinal que o estado mais gasta do que arrecada. O governador disse que Minas vive um incêndio há 5 anos.

O secretário de planejamento de Minas Gerais também participou da “Live” realizada pelo governador. Otto Levy explicou que há diferenças entre o tempo de contribuição e de aposentadoria dos policiais militares em relação às policias civil e penal. Segundo ele, essa definição foi feita na Reforma da Previdência Federal e está presente na Constituição Federal.

Romeu Zema disse que a reforma e aumento da alíquota para a previdência vale para todos os poderes do estado, executivo, legislativo e poder judiciário. O governador disse que se nada for feito agora, a tendência é que as dívidas do estado aumentem e que os atrasos dos salários fiquem ainda mais evidentes.



Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">