28/07/2020 às 15h03min - Atualizada em 28/07/2020 às 15h03min

Campanha tenta conscientizar para o não uso de cerol e linha chilena e evitar acidentes envolvendo pipas

Hérisder Matias
A Campanha foi lançada na semana passada e recebeu o nome “A vida por um fio”. A ideia é conscientizar as pessoas a não soltarem pipa usando cerol e linha chilena e denunciar que transforma a brincadeira de criança em uma arma. Isso, por que, a linha, quando recebe materiais cortantes, na intenção de cortar outras linhas, também pode ferir e até matar pessoas. Este motoboy morou em São Paulo, onde um grande número de pessoas gosta de brincar de pipa e acidentes envolvendo linhas acontecem. Para evitar acidentes, este equipamento é usado por vários motociclistas. O motociclista diz que a antena corta pipa já foi útil pelo menos duas vezes em Caratinga.

José Geraldo usava uma dessas antenas antes. Ele disse que o equipamento se quebrou, mas que vai providenciar uma nova antena.

Nesta loja especializada em peças de motos, o comerciante disse que a procura pela antena corta pipa é tão grande, que o estoque do equipamento até acabou. O preço varia entre R$ 20 e R$ 25 reais na cidade e a instalação é rápida.

A brincadeira de soltar pipas deve se intensificar com a chegada do mês de agosto, quando os ventos ficam mais fortes. Período que os acidentes envolvendo cerol e linhas chilenas tendem a ser ainda mais frequentes. A nossa equipe até flagrou essa linha em fios de alta tensão na Rua Princesa Isabel, em Caratinga. No Youtube também não é difícil encontrar pessoas que ensinam como fabricar as linhas, que podem se transformar em armas. Os fabricantes usam pó de vidro, de quartzo e óxido de alumínio. Por isso, a campanha do Governo de Minas, “A vida por um fio”, tenta conscientizar crianças e adultos que brincam de soltar pipa.

É preciso conscientizar, ainda mais nesse momento em que o trabalho de motoboys e profissionais de entrega ficou ainda mais importante.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »