01/09/2020 às 09h17min - Atualizada em 01/09/2020 às 09h17min

Prefeitura de Caratinga confirma adesão ao plano Minas Consciente

Matheus Aguiar
O plano de retomada da economia foi criado pelo governo do Estado em abril deste ano. Uma das ações do Minas Consciente é recomendar os serviços e estabelecimentos que podem ser reabertos em cada macrorregião mineira. Essa indicação é feita por meio da definição de qual onda de risco está a região. Na onda vermelha, só podem funcionar os serviços essenciais. Já na onda amarela, os serviços não essenciais também estão disponíveis. E na onda verde, o patamar mais seguro do programa, podem funcionar também os serviços não essenciais com alto risco de contágio. É nesse último segmento que se encontram, por exemplo os museus, cinemas, clubes e estúdios de tatuagem. Porém, até o momento, nenhuma macrorregião mineira apresentou índices favoráveis para inclusão nesta onda. Para avançar para a onda verde, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na onda amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.

Até a semana passada, a macrorregião do Vale do Aço, da qual Caratinga faz parte, se encontrava na zona vermelha, devido à taxa de incidência da covid-19, ocupação de leitos, percentual de casos positivos, dentre outros fatores. Porém, na última sexta-feira, o Comitê Extraordinário Covid-19 passou a considerar a rede suplementar de saúde, ou seja, os planos e seguros privados de assistência médica, como um critério para a evolução das regiões. Isso fez com que o Vale do Aço, além de outras regiões, avançasse para a zona amarela do Minas Consciente.

Na zona amarela, estão permitidas a reabertura dos bares, com consumo no local; autoescolas; salões de beleza e atividades de estética; papelarias, lojas de livros, discos e revistas; lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem; comércio de itens de cama, mesa e banho; lojas de móveis; imobiliárias; lojas de brinquedos; agências de viagem e por fim, as academias, com restrições no serviço e seguindo as recomendações de segurança.

No último sábado, por nota, a assessoria da prefeitura confirmou a adesão do Programa Minas Consciente. E nesta segunda-feira, o poder executivo municipal publicou o decreto 172/2020 confirmando que a cidade seguirá as diretrizes do plano estadual de retomada da economia. Neste sentido, será dever do poder público municipal respeitar e cumprir as indicações do programa; fiscalizar os estabelecimentos no âmbito municipal; observar e divulgar as eventuais alterações, atualizações e suspensões no Plano Minas Consciente; e acompanhar o cenário epidemiológico e assistencial da COVID-19 analisados pela Secretaria Municipal de Saúde.

Já o setor empresarial da  cidade deve estar ciente das condições e diretrizes do Plano Minas Consciente e cumprir as seguintes obrigações: implementar e manter todos os procedimentos e protocolos gerais e específicos aplicáveis ao estabelecimento; garantir as regras de postura pelos clientes e pelos empregados ou similares dentro de seu estabelecimento; e também manter fixado na entrada do estabelecimento, de forma visível e legível, a relação de procedimentos previstos no protocolo respectivo ao seu segmento ou atividade.

A assessoria da prefeitura não soube informar quando essa adesão será oficializada pelo estado. Até esta segunda-feira, de acordo com o Governo de Minas, quase 68% dos 852 municípios do estado já aderiam ao plano Minas Consciente.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">