04/09/2020 às 08h47min - Atualizada em 04/09/2020 às 08h47min

Adesão ao Minas Consciente não garante retomada total da economia em Caratinga

Matheus Aguiar
No dia 20 de agosto, o poder executivo do município já havia invalidado o decreto 108/2020, que definia a redução no horário de funcionamento do comércio e ordenava o rodízio de CPF’s. Agora, com a revogação do decreto 97/2020, todas as recomendações sanitárias, de distanciamento e de segurança passam a seguir as diretrizes definidas pelo governo do estado. É importante lembrar que os gestores públicos que optaram por aderir ao Minas Consciente, têm a obrigação de fiscalizar e de seguir todas as determinações do plano. A abertura dos estabelecimentos deve respeitar os protocolos de segurança, como o distanciamento entre 2 metros entre clientes, só permitir a entrada de pessoas usando máscara, disponibilizar o álcool gel e fazer a sanitização constante do local. Deve ser seguido também o decreto estadual que restringe a lotação máxima de até 30 pessoas por ambiente. Além disso, por determinação de uma lei federal, o uso de máscara segue obrigatório nos espaços e transportes públicos, nos taxis e carros de aplicativo, e também em locais privados acessíveis ao público, como bancos.

Além da reabertura de bares, academias, salões de beleza e estúdios de estética, os moradores de Caratinga já devem ter percebido também que as faixas de isolamento e os plásticos de segurança dos bancos foram removidos das praças municipais. O acesso estava restrito desde abril. O governador Romeu Zema, recomenda cautela e responsabilidade por parte dos gestores públicos neste momento de reaberturas.  

No início desta semana Minas Gerais ultrapassou o Ceará e se tornou o quarto estado com maior números de pacientes positivos para o vírus no Brasil. Assim como a macrorregião do Vale do Aço, da qual Caratinga faz parte, avançou para a onda amarela do plano, é possível também regredir, mediante ao aumento no número de casos e internações hospitalares. A região Noroeste, por exemplo, na última quarta, voltou para a onda vermelha, e as restrições de reabertura são mais rígidas. Caso o Vale do Aço apresente um quadro controlado e mantenha 28 dias consecutivos na onda amarela, ele automaticamente passará para a zona verde, na qual praticamente todos os estabelecimentos estão permitidos. Das 14 macrorregiões do plano, o Vale do Aço é a quinta com mais óbitos. 

A assessoria da prefeitura de Caratinga confirmou que mesmo com a revogação dos decretos de contenção da pandemia, o município seguirá fiscalizando os estabelecimentos, e manterá também as barreiras sanitárias que protegem as entradas da cidade.


 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">