02/10/2020 às 08h37min - Atualizada em 02/10/2020 às 08h37min

Menino de 4 anos que sofreu queimaduras durante incêndio em residência no Anápolis é transferido de avião para BH

Criança teve cerca de 80% do corpo queimado

Fabio Teodoro
O avião Arcanjo 07 do Batalhão de Operações Aéreas (BOA) do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) chegou ao aeroporto por volta das 15h de quarta-feira (30/09).
 
Os militares e uma equipe médica fizeram a operação área para transferir o menino, de 4 anos, que teve em torno de 70% a 80% do corpo queimado, após um incêndio em residência ontem em Caratinga. A operação foi realizada em conjunto com o 2º Pelotão de Bombeiros Militar.
 
O recebimento do paciente é feito pela equipe médica diretamente na unidade saúde.
 
A criança foi levada da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas até o aeroporto em uma Unidade de Resgate (UR) do Corpo de Bombeiros. O Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, para onde o menino foi levado, é referência em tratamento de queimados. O avião decolou do aeroporto com destino à capital mineira por volta das 16h30.
 
Segundo informado pela direção da UPA, o menino estava lúcido, responsivo e conversando. O paciente foi transferido para dar mais conforto a ele devido à idade e pela extensão da queimadura.
 
O incêndio aconteceu nesta casa da Rua Maria Lopes de Freitas (antiga Rua Três), no Bairro Anápolis. As chamas ficaram concentradas no quarto onde as vítimas estavam. O menino, a mãe dele, de 22 anos, e um outro filho dela, um bebê, de 1 mês de vida, foram socorridos por vizinhos e levados por um parente até a UPA. Quando os bombeiros chegaram ao local, o fogo já havia sido controlado pela vizinhança.
 
O Corpo de Bombeiros preservou o local até a chegada da perícia da Polícia Civil. A suspeita é de que um curto-circuito possa ter provocado o incêndio na residência.
 
Ontem a direção da UPA informou que a mãe e o bebê passam bem e que eles foram transferidos para o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora (HNSA). A vaga para transferência do menino foi solicitada, por meio do Sus Fácil, sistema estadual que regula, em cogestão com os municípios, o acesso do paciente em um dos hospitais credenciados ao SUS de Minas Gerais capacitado para atendê-lo.



 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">