15/12/2020 às 16h46min - Atualizada em 15/12/2020 às 16h46min

ASSOCIAÇÃO DO LESTE MINEIRO DE DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS COMPLETA CINCO ANOS

Matheus Aguiar
A história da ALEMDII só pode ser profundamente compreendida se apresentada também a história de superação da fundadora da associação. Júlia Assis convive com a doença de Crohn e chegou a ser internada e precisar passar por uma cirurgia às pressas em 2002. Após passar pelo que ela mesma chama de ‘nascer novamente’, a paciente se propôs a empenhar no estudo das doenças inflamatórias intestinais até que em novembro de 2015, surgiu o embrião da associação que hoje é referência nos eventos sobre o tema. 

A caratinguense Júlia é também cirurgiã dentista, mas depois de ver a importância das informações divulgadas pela associação, começou a se dedicar totalmente ao trabalho que é voluntário. De acordo com a fundadora e presidente da associação, mais de meio milhão de pessoas já foram beneficiadas de alguma forma pela atuação da ALEMDII. 

Existem várias opções de tratamento disponíveis para as doenças inflamatórias intestinais que não levam a cura, mas podem fazer o paciente alcançar a remissão e ter uma vida normal. Nesse sentido, a informação tem poder muito grande de mudar a vida dessas pessoas. Júlia, por exemplo, antes da associação, não sabia que os pacientes com Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa têm direito ao tratamento medicamentoso tanto pelo SUS como pelos planos de saúde.

O trabalho da ALEMDII é dividido em três vertentes complementares. Sendo elas o acolhimento e a orientação para os portadores das doenças inflamatórias intestinais e seus familiares; a promoção de reuniões mensais com palestras de profissionais voluntários; e também a divulgação do tema, por meio de palestras e eventos voltados para acadêmicos e profissionais da saúde, bem como a transmissão de informações por meio das redes sociais. O congresso da associação é um dos principais marcos da estruturação da ALEMDII no leste mineiro.

Neste ano, todos os eventos promovidos pela ALEMDII foram realizados de forma remota, o que inclusive, aumentou ainda mais o alcance das informações e permitiu a participação de pessoas de outros estados e até países.

A diretoria da associação é composta por 17 pessoas, tendo voluntários competentes por áreas administrativas, científicas e de comunicação. E todo o trabalho desenvolvido pela ALEMDII, tem como único objetivo a melhora no panorama dessas doenças aqui no Brasil.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »