16/12/2020 às 08h36min - Atualizada em 16/12/2020 às 08h36min

RETOTALIZAÇÃO DE VOTOS ALTERA FUTURA COMPOSIÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE CARATINGA

Fabio Teodoro
A recontagem dos votos para vereador em Caratinga foi feita por meio do Sistema de Gerenciamento da Totalização (Sistot) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A retotalização dos aconteceu na sede dos cartórios das 71ª e 72ª Zonas Eleitorais, no início da tarde desta terça-feira (15/12).

Com a nova totalização, a composição da Câmara de Vereadores para o mandato de 2021 a 2024 foi alterada. Silvio Cezário Santiago, o ‘Silvio da Cachaça’, do Partido Liberal (PL), deixou a lista dos candidatos a vereador eleitos no último dia 15 de novembro e a vaga que antes era ocupada por ele ficou com a Rosilene Franco da Silva Cassiano, do Partido Republicano da Ordem Social (PROS).
 
“Já faz 15 anos que eu trabalho no Cartório Eleitoral de Caratinga e nesse período é a primeira vez que nós participamos de uma retotalização de votos. Essa retotalização se deve ao fato do registro de candidatura da Rosilene, conhecida como ‘Rosilene de São Cândido’, ter sido indeferido e permanecia com recurso tramitando no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG). Uma vez que o TRE proveu o recurso e o registro de candidatura dela passou para o status de deferido. Os votos atribuídos a ela foram retotalizados e com isso, mudou-se a formação da Câmara inicialmente proposta com a votação de 15 de novembro.

Segundo a Justiça Eleitoral, a recontagem de votos é um processo que acontece não só no Estado de Minas Gerais, mas, também, em outros estados.

Rosilene estava com o seu registro de candidatura sob apreciação judicial por conta de um problema relacionado à prestação de contas.

Rosilene, que assumirá uma cadeira no Legislativo no ano que vem, foi eleita nestas últimas eleições com 642 votos.

Os prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos neste ano deverão ser diplomados pelos Tribunais Regionais Eleitorais até sexta-feira (18). A diplomação é o último passo para a posse dos eleitos, que deverá ocorrer no dia 1º de janeiro.
 
O candidato que tiver seu registro sob apreciação judicial poderá continuar na disputa eleitoral, ficando a validade de seus votos condicionada ao deferimento de seu registro pela instância superior.

Os processos de registro de candidaturas têm prioridade sobre quaisquer outros, devendo a Justiça Eleitoral adotar as providências necessárias para o cumprimento dos prazos previstos pela legislação eleitoral, inclusive com a realização de sessões extraordinárias.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »