17/12/2020 às 09h20min - Atualizada em 17/12/2020 às 09h20min

MILHÕES DE MORTES POR ANO PODEM SER EVITADAS COM ATIVIDADE FÍSICA

Fabio Teodoro
Cleunice Maria Pereira é técnica de enfermagem aposentada e tem 62 anos. Faz 9 nove anos que ela pratica atividade física regularmente. Cleunice diz que teve diagnóstico de diabetes, arritmia cardíaca e distúrbio da tireoide. Ela conta que a atividade física foi uma grande aliada no tratamento e mudou completamente sua vida.

“Mudou tudo. Minha qualidade de vida, minha disposição e energia. Mudou de 80% a 90%. Fez uma diferença muito grande na minha vida. Sim, recomendo, as pessoas devem praticar mais atividade física”, disse ela.

A Organização Mundial da Saúde, a OMS, defende que o combate ao sedentarismo deve ser praticado em todas as idades e mesmo por pessoas com condicionantes físicas por motivo de doença. Humberto Nascimento é profissional de educação física e proprietário de uma academia da Avenida Moacyr de Mattos, no Centro de Caratinga. Ele orienta que a principal recomendação para quem quer sair do sedentarismo é procurar primeiramente um profissional de educação física.

“É um profissional que a sociedade hoje está demandando muito. E esse profissional vai conseguir identificar qual é o seu o nível de sedentarismo. E assim, ele vai passar uma avaliação, fazer uma série de perguntas e alguns testes com você, para classificar seu nível de sedentarismo. Em cima disso, ele vai propor os melhores exercícios para a pessoa fazer”, disse ele.

Segundo Humberto, a OMS recomenda que os adultos pratiquem até 300 minutos de atividade física por semana para combater o sedentarismo. No caso dos sedentários, o profissional de educação física diz que o ideal é começar devagar, sem exageros.

“A gente brinca o seguinte: que a diferença entre o remédio e o veneno é a quantidade. O exercício da mesma forma que pode ser benéfico, se ele for em excesso, uma dose diferente, para trazer prejuízos para essa pessoa que é sedentária. O ideal é que ela comece de forma bem gradativa. Hoje em dia a gente tem pessoas que são muito sedentárias. Tem pessoa, por exemplo, que a gente pede para subir na esteira, caminhar dez minutos, e pode ser uma atividade muito intensa para ela. O ideal é colocar o perfil certo para casa um”, explicou.

De acordo os dados da OMS, um em cada quatro adultos não pratica exercício físico suficiente. De acordo com documento da OMS, globalmente, estima-se que isso custe US$ 54 bilhões em cuidados diretos de saúde e mais US$ 14 bilhões em perda de produtividade. A OMS alertou que a atividade física regular é fundamental para a prevenção e o controle de várias doenças.
Ajuda também a combater o estresse e a diminuir os sintomas de depressão e ansiedade, melhorando a memória e a saúde do cérebro.

As recomendações abrangem todas as idades. Os idosos são aconselhados a incluir na rotina atividades que estimulem o equilíbrio e a coordenação, bem como o fortalecimento muscular, para ajudar a prevenir quedas e melhorar a condição física, que influencia diretamente a saúde.



Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »