20/01/2021 às 07h58min - Atualizada em 20/01/2021 às 07h58min

Doses da Coranavac chegam a minas e tem início a maior operação de vacinação de sua história

Fabio Teodoro
A chegada da vacina contra a Covid-19 a Minas Gerais trouxe a esperança de dias melhores. Durante a solenidade, o governador Romeu Zema falou da satisfação de acompanhar o ato simbólico tão esperado e aguardado pelos mineiros, que marcou o início da vacinação.

Minas recebeu do Ministério da Saúde 577.480 doses da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan.

“Que serão utilizadas prioritariamente para os profissionais de saúde, aqueles que estão mais expostos. Também para os idosos, que estão internados em instituições de longa permanência, e, também, para os indígenas”.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, as doses da CoronaVac vão permitir que 275.088 pessoas dos públicos da 1ª fase da campanha de vacinação contra a Covid-19 sejam vacinadas.

Zema também ressaltou que o governo de Minas já havia comprado, de forma antecipada, 50 milhões de seringas agulhadas e 617 câmaras frias para armazenar as vacinas. Até o momento, 21 milhões de seringas já chegaram a Minas e boa parte delas já foi entregue para as Regionais de Saúde e distribuída aos municípios, possibilitando a maior operação de vacinação da história do estado, visando salvar vidas.

O ato simbólico foi marcado pela vacinação de cinco profissionais de saúde do Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, que é referência no combate à Covid em Minas. Na ocasião, Zema enalteceu todos os profissionais que trabalham na área da saúde.

"Lembrando que os profissionais de saúde, nove, dez meses depois da pandemia, estão em um processo de exaustão, como todos nós, mas eles muito mais. Se nós tivemos trabalho extra, diria que a carga dos profissionais de saúde foi muito maior. Quero de coração agradecer, em nome dos cinco funcionários que estão aqui, a todos aqueles que trabalham na área de saúde, principalmente na rede do estado".

A técnica de enfermagem Maria do Bonsucesso Pereira, de 57 anos, conhecida como ‘Cecé’, que atua há mais de uma década no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Eduardo de Menezes, foi a primeira mineira vacinada contra a Covid.

Os outros quatro integrantes do Hospital Eduardo de Menezes, que fazem parte do grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde, foram: o técnico de enfermagem Thiago Libério Santana Medina, 39 anos, que tem diabetes tipo 2, hipertensão e obesidade, e precisou ser destacado para funções administrativas no hospital; a enfermeira do CTI Adileia Pereira de Jesus Cardoso, a Didi, de 52 anos; O fisioterapeuta respiratório do CTI Moisés Alves Senra, de 39 anos; e representando os médicos, Teresa Gamarano Barros, de 37 anos, coordenadora geral do CTI. Apesar de ser do grupo de risco, por ter asma, ela esteve na coordenação do CTI desde o primeiro dia da pandemia, sendo referência para os colegas, pacientes e seus familiares.

Zema lembrou ainda os mineiros que a chegada da vacina não é a solução definitiva ou imediata da pandemia.



 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">