24/02/2021 às 08h07min - Atualizada em 24/02/2021 às 08h07min

Investigado diz ter sido vítima de golpe ao falar sobre apreensão de carros com indícios de clonagem

Fabio Teodoro
A picape Fiat Toro Freedom com indícios de clonagem foi apreendida pela Polícia Militar na noite da última sexta-feira (19/02), na avenida Marechal Deodoro, no centro de Caratinga. A apreensão da picape se deu em razão de informações recebidas da Polícia Militar de São Paulo, que davam conta de que uma Fiat Toro possivelmente clonada estaria transitando em Caratinga e região.

O veículo estava na posse do investigado Nilton Pereira de Castro Júnior. De acordo com a PM, após minuciosa verificação, foi localizado um número de chassi correspondente ao veículo original, que possuía queixa de roubo em 03 de março de 2020, na cidade de São Paulo (SP).

Diante dos fatos, ele foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos e após ser ouvido pela delegada de plantão, assinou um Termo de Declarações, sendo liberado.

Procurado pela imprensa, Nilton decidiu se manifestar durante a tarde desta terça-feira (22). Em entrevista concedida em Piedade de Caratinga, cidade onde trabalha, o investigado disse ter sido vítima de um golpe.

“Um momento muito complicado para mim e para eu estar falando a respeito desses fatos. É algo que está me deixando emocionalmente muito ferido e abatido. Porque é uma situação que eu jamais esperei passar, mas sou ciente que qualquer pessoa poderia ser vítima de um golpe dessa forma que eu fui. Mesmo com todas as precauções que tomei com esse carro que foi adquirido no ano passado”.

Segundo Nilton, ele comprou a Fiat Toro há quase um ano após ver um anúncio em uma plataforma de compras online. Nilton relatou que entrou em contato com vendedor, fez a negociação e não existia nenhum impedimento. Ele apresentou um dos documentos que mostra uma consulta dos dados do veículo feita em 10 de agosto de 2020 e não constavam restrições. Os documentos serão juntados aos autos do inquérito policial.

“Ele é um carro que foi checado e eu tenho a comprovação desses checklists que foram feitos e foi adquirido em uma cidade, que não é Caratinga, porém, esses detalhes eu vou deixar a cargo da investigação que vai seguir em sigilo. Eu me coloquei à disposição da Justiça e do delegado para prestar todos os esclarecimentos, para esse caso ser apurado e ser elucidado da melhor forma possível, porque também é meu interesse. Eu não sou revendedor de carro como tem sido colocado por aí. Eu estou me sentindo muito desmotivado pelo que as pessoas têm pegado pela internet e falado sem saber”.

Afirmou também que a Fiat já tinha passado por várias blitzes e, até então, não havia sido constatada qualquer suspeita de adulteração do veículo.

Sobre o valor do veículo, Nilton explicou que negociou com o vendedor um valor de entrada e fez um financiamento próprio.

No dia seguinte à apreensão da Fiat Toro, depois do recebimento de uma denúncia, a PM apreendeu outro veículo com sinais de clonagem. A apreensão do Fiat Argo aconteceu na Avenida Presidente Tancredo Neves, em Caratinga, onde o carro estava estacionado. A PM solicitou um chaveiro para abrir o veículo e ao conferir o número do motor foi constatado que estava alterado. O Fiat Argo teria sido roubado em Belo Horizonte. Nilton disse que comprou esse segundo veículo recentemente da mesma pessoa.

De acordo com o Nilton, a confiança adquirida no vendedor fez com que ele comprasse um segundo veículo.

Nilton finalizou dizendo que espera que as investigações possam elucidar o caso, sua inocência seja comprovada e os responsáveis penalizados.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">