26/02/2021 às 14h45min - Atualizada em 26/02/2021 às 14h45min

Governo de Minas Gerais apresenta novo protocolo para volta às aulas presenciais

Miguel Bráz
Em coletiva à imprensa, na última quarta-feira, o governo mineiro apresentou os critérios de adequação a serem seguidos pelas escolas para atender ao novo protocolo de saúde para a volta às aulas presenciais no Estado. A ideia é que o retorno aconteça por meio de um modelo híbrido, mantendo o ensino remoto.


A deliberação sobre a volta às aulas foi aprovada na última quarta-feira durante a reunião do Comitê Extraordinário Covid-19, grupo que monitora semanalmente a situação da pandemia no estado. O secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo, explicou que a decisão tomada foi baseada no Benchmarking Internacional, mencionando como referência alguns países como Austrália, Inglaterra, Estados Unidos e Israel. Ele lembrou que quase todos os estados brasileiros já sinalizaram acerca do retorno às aulas a partir de março. Sobre a deliberação do Comitê Extraordinário e o retorno das aulas, o secretário deu alguns detalhes.
 
O secretário estadual de Saúde também falou sobre o protocolo sanitário a ser seguido. Este procedimento é fruto de debates e reuniões técnicas do grupo de trabalho formado por representantes das secretarias de Estado de Saúde de Educação, da Sociedade Mineira de Pediatria e da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil, que contou ainda com a participação de outras entidades, associações e sindicatos de servidores como convidados. Carlos Eduardo frisou que as regiões que estão na Onda Vermelha, do programa Minas Consciente, não devem retomar com as aulas. Dentro do protocolo, há avaliação de critério para a suspensão das aulas em caso de surto dentro da sala, ou seja, as atividades escolares serão suspensas por sete dias. Se o surto for constatado em várias salas, o turno será interrompido. Se caso a cidade apresentar o surto, todas as escolas serão fechadas. A secretária de Estado de Educação, Julia Sant’Anna, disse que as escolas estão preparadas para receberem os alunos.
 
A secretária disse que existem algumas decisões liminares vigentes no Tribunal de Justiça que suspendem a atividade presencial. Mas as deliberações que o secretário de Saúde Carlos Eduardo anunciou e uma portaria que será publicada nesta sexta-feira atendem às sinalizações e às decisões do TJ. Ela disse que os órgãos estão dispostos a atender quaisquer esclarecimentos que possam surgir pela Justiça. O que se pretende agora com a publicação das normas é trazer tranquilidade aos desembargadores para a autorização da r

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">