09/03/2021 às 08h45min - Atualizada em 09/03/2021 às 08h45min

Polícia Militar de Minas Gerais completa 40 anos da inserção das mulheres na corporação

A soldado Flávia é policial há 5 anos e em Caratinga atua na base comunitária móvel e também na patrulha de prevenção à violência doméstica.

Fabio Teodoro
A história da participação feminina na corporação mineira começa na década de 80, mais precisamente no dia 1º de setembro de 1981. Naquela data, a professora Maria Elvira Salles ministrou a aula inaugural para as 120 mulheres que integraram a primeira turma. O tema da palestra era "O papel da mulher na constituição da sociedade atual", um assunto discutido amplamente até os dias de hoje. Isso mostra como a instituição militar pode ter uma atuação significativa também na desconstrução de estereótipos e preconceitos.
A soldado Flávia é policial há 5 anos e em Caratinga atua na base comunitária móvel e também na patrulha de prevenção à violência doméstica. Esse trabalho que vem sendo cada vez mais estruturado pela polícia, encontra nas militares um cuidado importante para lidar com esse tipo de crime passional.
Atualmente, a sargento Josilaine é responsável pela Assessoria de Comunicação do 62º BPM de Caratinga. Mas se engana quem pensa que a rotina dela se resume ao uso da farda. Assim como a grande maioria das brasileiras, ela também acumula as atividades de casa. Para se ter uma ideia, segundo uma pesquisa do IBGE, em 2018, as mulheres dedicavam cerca de 10 horas a mais, por semana, aos afazeres domésticos em relação aos homens.
Mesmo com os avanços, anda existem muitas barreiras a serem enfrentadas por elas. No caso das instituições militares, por exemplo, a diferença de vagas destinadas entre os gêneros é gritante. Isso porque, segundo o Art. 3º da lei estadual nº 22415/16, apenas 10% do efetivo oficial deve ser preenchido por candidatas do sexo feminino. Mas mesmo que a polícia permaneça como um campo comandado por homens, a atuação delas, tanto em ações ostensivas quanto administrativas vem se provando extremamente eficaz e em nada perde para eles. Nesse sentido, as milhares de policiais mineiras devem se sentir extremamente orgulhosas de sua trajetória assim como a sargento Josilaine e a soldado Flávia.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">