11/03/2021 às 16h46min - Atualizada em 11/03/2021 às 16h46min

Entidades fazem campanhas alusivas sobre o Dia Mundial do Rim

Por causa da pandemia, as ações presenciais não estão sendo realizadas

Nesta quinta-feira (11), é comemorado o Dia Mundial do Rim. Por causa da pandemia do novo coronavírus, eventos que gerem aglomeração não estão sendo realizados. Mas, nem por isso, entidades não deixam de fazer campanhas, por meio de redes sociais, para conscientizar as pessoas sobre os cuidados que devem ter com o órgão.

O tema do Dia Mundial do Rim em 2021 é “Vivendo bem com a doença renal”. O objetivo é o de conscientizar e orientar o paciente com doença renal crônica (DRC) quanto aos próprios sintomas, para que possa participar, de forma mais efetiva, na rotina da vida cotidiana. A inclusão dos pacientes com DRC na vida cotidiana é o foco principal desta campanha, tendo como objetivo final, o de viver bem com a doença renal.



Nas redes sociais, algumas instituições fazem campanha sobre o Dia Mundial do Rim e alertam a população a ter cuidados com o órgão. Uma delas é a Clirenal, unidade de Terapia Renal hemodiálise de Caratinga.
O presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia, Osvaldo Nerege, lembra acerca do Dia Mundial do Rim e fala sobre a campanha realizada pela sociedade.

Muitas pessoas que apoiam as campanhas realizadas de forma virtual enviaram fotos à Sociedade Brasileira de Nefrologia. O deputado federal, Vinicius Carvalho, também apoia a campanha.

A doença renal crônica se caracteriza por lesão nos rins que se mantém por três meses ou mais, com diversas consequências, pois os rins têm muitas funções, dentre elas: regular a pressão arterial, “filtrar” o sangue, eliminar as toxinas do corpo, controlar a quantidade de sal e água do organismo, produzir hormônios que evitam a anemia e as doenças ósseas, entre outras. Em geral, nos estágios iniciais, a DRC é silenciosa, ou seja, não há sintomas ou são poucos e inespecíficos. Por isto, o diagnóstico pode ocorrer tardiamente, quando o funcionamento dos rins já está bastante comprometido, muitas vezes em estágio muito avançado, quando é necessário tratamento de diálise ou transplante renal. Assim, são fundamentais a prevenção e o diagnóstico precoce da doença, com exames de baixo custo, como a creatinina no sangue e o exame de urina simples.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">