26/03/2021 às 16h38min - Atualizada em 26/03/2021 às 16h38min

Prefeitura se reúne com concessionários de serviço funerário para tratar de vagas em cemitérios

O encontro definiu medidas e ações emergenciais diante do grave cenário da pandemia e consequente elevação do número de óbitos em virtude da doença no município e em todo o país

(Foto: divulgação/ Prefeitura de Manhuaçu)

Na manhã de quinta-feira (25), membros do Comitê Intersecretarial de Enfrentamento à Crise do Covid-19, reuniram-se com representantes das empresas concessionárias de Serviço Funerário que atendem ao município, para definir medidas e ações emergenciais diante do grave cenário da pandemia e consequente elevação do número de óbitos em virtude da doença no município e em todo o país.

Diante do pior cenário registrado em pouco mais de um ano de pandemia do Coronavírus, inclusive de colapso no sistema de saúde de todas as regiões, o Governo de Minas determinou aos municípios que suas secretarias de administração, pasta responsável pelo gerenciamento dos cemitérios públicos, busquem alternativas que evitem o colapso funerário, realidade já existente na capital. Essa determinação pede que os municípios realizem um levantamento de espaços para a ampliação do número de covas e de coveiros, reduza ainda mais o tempo dos velórios e esteja de prontidão para o caso de aumento repentino da demanda para sepultamentos.


(Foto: divulgação/ Prefeitura de Manhuaçu)
 

O município de Manhuaçu possui um cemitério na sede e também nos distritos de Santo Amaro de Minas, Vilanova, São Pedro do Avaí, São Sebastião do Sacramento, Ponte do Silva, Palmeiras e um no Córrego Manhuaçuzinho, além de um espaço em um cemitério particular que também fica no perímetro urbano. Todos os responsáveis pela manutenção e demais serviços desses locais serão orientados e preparados para o colapso. Diante dessa situação, fica claro que as autoridades estão extremamente preocupadas com o que está por vir e que o engajamento da população nos cuidados para evitar ainda mais a disseminação do vírus é fundamental para não deixar que a situação fique mais grave.

O sistema funerário é a “ponta” de uma cadeia iniciada ainda nos hospitais. A taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva cresce a cada dia e as vagas começam a faltar em todo o estado. As enfermarias dos hospitais da região também registram alta movimentação, com mais de 90% da taxa de ocupação.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">