25/08/2021 às 14h46min - Atualizada em 25/08/2021 às 14h46min

Polícia Civil prende suspeito de tentar matar homem a capacetadas

O crime aconteceu no dia 7 de agosto deste ano, um dia depois do suspeito deixar o sistema prisional em saída temporária

PCMG
(Foto: Pexels)

Na manhã desta quarta-feira (25/8), a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em Sabinópolis, na região do Rio Doce, cumpriu mandado de prisão preventiva contra um homem, de 44 anos, suspeito de tentar matar a capacetadas um homem, de 40. O crime aconteceu no dia 7 de agosto deste ano, um dia depois do suspeito deixar o sistema prisional em saída temporária.

No dia dos fatos, após uma discussão, o suspeito acertou vários golpes de capacete na vítima. Depois do crime, o homem fugiu em direção ao Córrego dos Tavares, sendo encontrado pela Polícia Militar escondido no mato, às margens da estrada. Ele foi conduzido em flagrante até a Delegacia de Polícia Civil. A vítima foi socorrida ao hospital com suspeita de traumatismo craniano.

De acordo com o delegado Viener de Souza Martins Junior, que conduz a apuração do caso, a ocorrência foi registrada pela Polícia Militar como lesão corporal. “Durante seu depoimento, o suspeito ludibriou a verdade de maneira proposital, no intuito de se esquivar das consequências legais pela prática de seus atos. Além disso, devido o delegado de plantão não ter tido acesso ao grau das lesões provocadas – se leve grave ou gravíssima – foi instaurado inquérito de lesão corporal”, disse.

Ainda de acordo com o delegado, “durante as investigações, obtivemos imagens de circuito de segurança que mostram o momento exato em que os dois homens se desentendem, evidenciando uma realidade totalmente contrária à versão apresentada pelo suspeito. Enquanto a vítima está de costas, o suspeito inicia os golpes com o capacete e, mesmo quando o homem cai ao chão, o suspeito ainda acerta mais quatro capacetadas na cabeça da vítima, por tal razão, representamos pela prisão preventiva do suspeito”, finalizou.

O homem foi preso por mandado de prisão preventiva e entregue ao sistema prisional, ficando à disposição da Justiça. As investigações prosseguem pela PCMG.

A ação contou com o apoio da equipe da Delegacia de Polícia Civil em Rio Vermelho.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">