17/04/2019 às 10h29min - Atualizada em 17/04/2019 às 10h29min

Corte na educação integral pelo governo atinge região de Caratinga.

Pelos menos 17 escolas não foram contempladas neste ano letivo.

Lucas Vieira
Na última semana o governador Romeu Zema (Novo), anunciou o corte de cerca de 80 mil vagas no ensino integral do estado. O executivo estadual abaixou de 1.640 para 500 escolas a serem atendidas na modalidade. A principal justificativa para este grande corte, que atinge 70% dos alunos, é a crise financeira. 

De acordo com a diretora pedagogia da 6ª Superintendência Regional de Ensino, Simone Camila, a região de Caratinga também foi afetada com o corte sancionado pelo Governo. A Escola Estadual Dom Carloto, por exemplo, que participa desde 2017 do programa de educação integral, este ano não contará com o serviço. Ao todo, na área sob jurisdição da 6ª SRE, houve a redução de 17 escolas com o programa de educação integral. 

Simone destacou que não houve nenhuma redução de carga horária ou demissão de funcionários, uma vez que as aulas iniciam no mês de maio.

A medida do governador Romeu Zema vai na contramão do que prevê o Plano Nacional da Educação (PNE), de 2014, nele os estados deveriam oferecer educação em tempo integral em, no mínimo 50%, das escolas públicas, de forma a atender 25% dos alunos dos níveis fundamental e médio. O programa de educação integral busca implementar a formação do aluno em diversas áreas, como esporte, artes plásticas, música, dança, teatro, informática, que contemplam conhecimento tradicional acessado pelos estudantes, por meio da ampliação da jornada escolar. 

A diretora da 6 ª SRE disse que existem perspectivas do Governo de Minas em relação a retomada total do serviço de educação integral no Estado.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">