06/10/2021 às 09h24min - Atualizada em 06/10/2021 às 09h24min

EMPRESA DE BEBIDAS ANUNCIA AUMENTO DE ATÉ 10% NOS PRODUTOS EM TODO O BRASIL

Nos últimos anos, as idas ao mercado têm sido uma angústia para a maioria dos brasileiros. Com a alta na inflação, no preço dos combustíveis e energia, e a desvalorização do real desde o ano passado, o país vive uma das maiores crises econômicas da história. Nas prateleiras, o consumidor encontra produtos cada vez mais caros. Nem mesmo os itens de segunda necessidade escapam do aumento.

Depois da carne, chegou a vez das cervejas passarem por um reajuste. A cervejaria Ambev, a maior da América Latina, anunciou na semana passada que aumentará o preço de toda a sua produção. A estimativa é de um aumento de 7% a 10%, acompanhando a inflação brasileira.

A empresa é responsável pela fabricação de mais de 200 marcas de cervejas, como Brahma, Skol, Antarctica, Budweiser, e também refrigerantes, energéticos e águas saborizadas. Além disso, a marca tem aumentado cada vez mais seu vínculo de relacionamento com os revendedores, e inclusive, fornece modalidades diferentes de vendas. 

Recentemente, a família do Guilherme adquiriu um bar no centro de Caratinga e com a retomada das atividades na cidade, já vem recebendo um grande público nos finais de semana. Mas, o cenário de instabilidade, causado pela crise econômica, ainda preocupa. Ele acredita que esse aumento no preço deverá ser repassado aos clientes. 

Uma das alternativas encontradas por Guilherme tem sido investir no delivery, em que a cerveja sai mais barata. Como é o principal produto vendido no bar, ele ainda aposta na diversidade de tamanhos para agradar os clientes. 

Um estudo realizado pela empresa Euromonitor apontou que o consumo de cerveja no Brasil, em 2021, já alcançou um patamar recorde. Somente neste ano, mais de 13 bilhões de litros da bebida foram vendidos no país. Neste cenário, o faturamento da Ambev também cresce, já que as vendas de cerveja totalizaram R$ 184,5 bilhões em 2020.
Apesar do aumento dos preços, Guilherme acredita que as vendas devem continuar movimentadas no bar. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »