26/10/2021 às 09h23min - Atualizada em 26/10/2021 às 09h23min

CARATINGUENSE CONSTRÓI MÁQUINA PARA PRODUZIR VASSOURAS COM MATERIAL RECICLÁVEL

Você sabia que uma garrafa PET demora, aproximadamente, 400 anos para se decompor na natureza? Com milhares delas sendo produzidas todos os dias o plástico tem afetado também os oceanos. Portanto, o descarte correto e a reciclagem são cada vez mais importantes. E tem um caratinguense que desenvolveu uma máquina capaz de transformar as garrafas em vassouras.
 
Estima-se que sejam vendidas 1 milhão de garras PET por minuto no mundo. E mesmo com as campanhas de conscientização sobre a reciclagem, o descarte incorreto continua prejudicando o meio ambiente. Se continuarmos a consumir desta forma, até 2050, os oceanos terão mais plástico do que peixes.
 
Enquanto as empresas e os governos não conseguem solucionar de vez o problema, as pequenas iniciativas podem colaborar e muito nessa batalha. E é justamente essa a batalha do caratinguense Gerson Brum. Ele produz vassouras utilizando garrafas recicláveis e assim, pretende também incentivar outras pessoas.
 
A primeira etapa de produção das vassouras acontece nessa máquina. Primeiro, Gerson coloca a garrafa em uma base de cano PVC que tem uma navalha acoplada. Rapidamente ele retira o fundo da PET. Depois, ela vai para uma outra parte que vai cortando em tiras o plástico. Isso vai ser a cerda da vassoura. Nessa parte, o aposentado adaptou uma peça de bicicleta que acelera o processo. As fitas são enroladas nessas carretilhas que ele vai acumulando para depois montar as vassouras.
 
Depois de retirado, o plástico ainda é fervido em uma caldeira para adquirir mais resistência.
 
A etapa final é colocar as fibras de plástico na base de madeira que fica presa ao cabo da vassoura. E até nessa parte, ele reaproveita mais algumas partes da garrafa.
 
Em Caratinga, ele é conhecido como Gerson Balaieiro, por ter executado esse ofício há muitos anos na cidade. Mas também foi funcionário da prefeitura e se aposentou como motorista de ônibus. O artesão conta que sempre valorizou as coisas simples da vida e sua primeira profissão o ensinou a reaproveitar qualquer tipo de material e dar uma finalidade útil a ele. Em sua singela casa, que faz as vezes de uma oficina, grande parte das ferramentas e utensílio foram desenvolvidas por Gerson.
 
E olha, o aposentado ainda se preocupa em colaborar com quem trabalha na reciclagem. Todas as garrafas que ele reutiliza são compradas de catadores. Desta forma, ele acredita estar ainda ajudando essas pessoas que vivem dessa atividade que é tão menosprezada.
 
O aposentado é viúvo e todos os filhos já saíram de casa. Como ele mora sozinho, esse trabalho de reciclagem o ajuda a ocupar o tempo e além de tudo traz uma grande satisfação. Com essas vassouras, Gerson pretende ajudar a limpar o meio ambiente e ainda deixar um legado de simplicidade para Caratinga.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">