19/11/2021 às 15h11min - Atualizada em 19/11/2021 às 15h11min

75% dos restaurantes brasileiros devem reajustar os preços do cardápio, aponta pesquisa

Pesquisa ainda aponta que 32% dos estabelecimentos trabalham com prejuízo

(Foto: Miguel Bráz)
Apesar da reabertura e da retomada no faturamento, 32% dos respondentes seguem trabalhando no prejuízo. A pesquisa feita pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, ABRASEL, em outubro, revela que 75% dos estabelecimentos disseram que não têm mais como segurar os repasses se os custos continuarem a aumentar. O levantamento ainda apontou que carnes, embutidos e laticínios são os vilões da elevação dos custos.



Neste restaurante, em Caratinga, houve um aumento de 14,3% nos preços do cardápio. A dona proprietária mencionou alguns fatores que também podem haver contribuído para o reajuste, como o aumento na conta de energia, do gás e do combustível. 

Sirlene Medeiros, dona de restaurante (Foto: Miguel Bráz/ TV SISTEC)

No restaurante, uma das carnes que é servida todos os dias é o frango, que também teve aumento no preço. Antes, ela comprava o produto a R$ 5,90 e, hoje, o valor ultrapassa dos R$ 8,50. No entanto, muitos enfrentam dificuldade na hora da compra.


(Foto: Miguel Bráz/ TV SISTEC)

Por outro lado, com as flexibilizações, o movimento no restaurante de Sirlene está voltando como antes.

As razões, no entanto, variam. Enquanto a alta dos preços é o principal motivo de dor de cabeça para quem precisa comprar carne, para quem compra cerveja, a grande dor de cabeça é a falta ou escassez do produto no mercado.

Por fim, a pesquisa apontou que a queda das últimas restrições de funcionamento e a proximidade das festas de fim de ano animam os empresários de bares e restaurantes. Segundo o levantamento, 79% dos consultados acreditam que as vendas irão aumentar até o fim de 2021.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">