27/12/2021 às 09h09min - Atualizada em 27/12/2021 às 09h09min

INSTITUTO DE PESQUISA AFIRMA QUE INDICADORES DA ECONOMIA NACIONAL DEVEM CAIR EM 2022

Desde o ano passado, a economia brasileira vem sofrendo com o mercado externo e principalmente com a pandemia da covid-19. Além do desemprego a inflação também atingiu patamares recordes. E as projeções não melhoram no ano que vem. É o que indica um instituto de pesquisa nacional. 

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, no final de 2021, o Brasil vem dando sinais de recuperação. Além da vacinação, que possibilitou a retomada de atividades, o Governo Federal também propôs algumas manobras para a manutenção de empregos, inclusive com incentivos para famílias em situação de vulnerabilidade. Um estudo recente demonstra que a retomada do mercado de trabalho se intensificou no último trimestre do ano.

Os dados acumulados nos últimos 12 meses já revelam uma leve desaceleração da inflação para as faixas de renda mais baixa. Mesmo assim, são os grupos mais ricos que continuam sentindo menos a variação de preços. 

Por outro lado, toda a crise acumulada durante esses últimos dois anos, inclusive com a pressão do dólar, não deixa motivos para o otimismo. Pelo menos com relação ao crescimento do país. As projeções para o PIB de 2022 seguem 3% abaixo desse ano.

Nem mesmo o setor agropecuário, que historicamente sustenta a economia do país, indica crescimento acima do esperado para o próximo ano. De acordo com a pesquisa, isso tem relação direta com a situação atual da política externa do Brasil. 

Enquanto a produção interna segue abaixo das análises anteriores, a inflação, em contrapartida, deve cair no ano que vem. Um indicativo de que, com o aumento do salário mínimo para R$ 1210,00, o poder de compra do brasileiro deve, ao menos, superar a experiência que tivemos em 2021. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »