19/08/2019 às 08h25min - Atualizada em 19/08/2019 às 08h25min

Ceni revela pedido de desculpas por substituir Egídio e explica Dodô de volante pelo Cruzeiro contra o Santos

Três minutos do primeiro tempo. Gustavo Henrique, zagueiro do Santos, derruba Pedro Rocha, atacante do Cruzeiro, que se preparava para entrar na área e finalizar a gol. O árbitro Anderson Daronco manda seguir, mas, ao ser alertado pelo VAR, paralisa a partida e verifica se houve infração no vídeo. Confirmada a falta, o juiz expulsa o defensor santista. Naquele instante, o técnico Rogério Ceni começa a planejar Fred na equipe e o pede para aquecer.
 
Aos 24 minutos, a placa de substituição é levantada. Quem sai? Egídio. Ao caminhar para a linha lateral, o camisa 6 dá um abraço em Ceni e se senta no banco de reservas do MineirãoDodô, escalado como volante no lugar de Ariel Cabral, retorna à ala esquerda. E Fred demora a encaixar dentro de campo. Até que, aos 43 minutos, recebe passe de Thiago Neves e chuta no canto direito: 1 a 0. Na etapa final, o camisa 9 tem mais uma participação importante, ao retribuir a assistência ao meio-campista, que bate no lado esquerdo e amplia: 2 a 0.
O roteiro da vitória na estreia foi perfeito para Rogério Ceni, que, em entrevista coletiva, revelou ter pedido desculpas a Egídio pela alteração. “O Fred estava lá no banco, aí com 20 ou 22, não sei o minuto exato, entendemos que era importante colocar um homem a mais dentro da área. O Egídio teve que sair, até pedi desculpas a ele, pois não costumo trocar um jogador com 22 minutos de jogo”.
 
Na opinião de Ceni, o crescimento do Cruzeiro no jogo pedia mais um atacante em campo, já que o Santos, com um atleta a menos, estava encurralado na defesa e não tinha forças de buscar contragolpes. “Aquele momento de jogo se fazia necessário não perder até o intervalo para daí fazer a mudança. Então, conto com a compreensão de todos, que estão se dedicando muito nos treinamentos. Espero que seja a primeira vitória na qual a gente consiga evoluir”.
 
Dodô
 
Segundo Rogério, a escolha inicial por Dodô para o meio-campo se deve à versatilidade do jogador. “Tinha dúvida entre Egídio e Dodô (para a lateral esquerda). Acabei arrumando espaço para Dodô, jogador ambidestro e que trata muito bem a bola, no meio”.
 
Dodô também falou a respeito da mudança inesperada de posição. “Desde a chegada do Rogério, ele tem conversado comigo. Disse que, pelas minhas características, eu também poderia jogar por dentro. Foi uma coisa que trabalhamos na semana, treinei na lateral, treinei no meio, e ele optou por iniciar comigo no meio. Depois, com a expulsão, ele mudou novamente a minha posição”.
 
O camisa 18 se mostrou empolgado e disposto a abraçar a estratégia do treinador. “Nesse momento, o mais importante é a gente estar disposto a se sacrificar pelo resultado e dar a possibilidade de ele trabalhar as suas ideias”.

A vitória sobre o Santos fez o Cruzeiro sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, agora em 16º lugar, com 14 pontos em 15 rodadas. O Peixe, por sua vez, segue na liderança, com 32, dois de vantagem sobre Flamengo (2º) e Palmeiras (3º).

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
" data-width="400" data-hide-cover="false" data-show-facepile="true">